Documentário “Favela.doc” traz retrato de música e cultura periférica no Brasil

Dirigido por Viviane Ferreira, o documentário está em fase final das gravações após percorrer 6 estados do Brasil

Por: Bruna Maleh (@brumaleh)

Via: Rolling Stone

Viviane Ferreira, diretora do Favela.Doc (Foto: Marina Domar)

Favela.doc é um documentário que aborda a cultura e música periférica no Brasil, retratando os estilos musicais que muitas vezes acabam sendo mais “ofuscados”, além também das dificuldades que estes artistas passam para conquistarem seu espaço no mercado musical. Com o fim de suas gravações em 29 de abril, o projeto tem previsão de ser lançado em 2025.

Dirigido por Viviane Ferreira, o Favela.doc explora a essência da música periférica brasileira nas favelas e comunidades de seis estados do país, buscando dar mais visibilidade ao funk, trap, samba, grime/drill, tecnobrega, bregafunk, R&B e pagode baiano. A produção será dividia em oito episódios para conseguir representar esta variedade musical ao redor dos estados brasileiros.

Para encerrar as filmagens em São Paulo, a produção traz o DJ Mu540 (Muzão), como figura central do episódio. Nascido na Praia Grande, o jovem artista tem se destacado principalmente na cena do trap paulista, e por abranger elementos do funk e rap.

“Para mim, dirigir o ‘Favela.doc’ é uma oportunidade única de dar voz e visibilidade às comunidades periféricas e aos artistas que nelas vivem. Este projeto vai além de retratar a música brasileira: é um mergulho na alma e na criatividade das favelas, revelando o protagonismo desses artistas e a riqueza cultural que eles trazem para o país.”, conta Viviane Ferreira, diretora do projeto.
Durante as filmagens, o documentário investiga as origens e influências de cada estilo musical, destacando figuras importantes de cada comunidade visitada.

Alguns dos artistas que contribuíram com o documentário foram Deize Tigrona, N.I.N.A., TrapFunk&Alívio, Rayssa Dias, Maderito, Filhos de Dona Maria e duo Margaridas, cada um representando um estilo. A série é uma colaboração entre a agência Um Nome e a Odun Filmes, financiada pelo Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal, com Amanda Bittar e Guilherme Tavares como produtores executivos.

“Jornal da USP” tem novo caderno dedicado às atividades de cultura e extensão universitária

Novo canal da Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária apresenta notícias, artigos e agenda cultural de diversos equipamentos e espaços da Universidade

Por:

Via: Jornal da USP

 

A iniciativa engloba ações produzidas pelos órgãos e projetos de extensão da PRCEU – Foto: Reprodução

A Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária (PRCEU) lança hoje, dia 25 de abril, em parceria com a Superintendência de Comunicação Social (SCS), o Caderno de Cultura e Extensão. O novo projeto, com destaque especial no site do Jornal da USP, apresenta informações sobre a produção cultural desenvolvida pelos órgãos ligados à PRCEU e sobre projetos de extensão voltados para a sociedade.

Segundo a pró-reitora de Cultura e Extensão Universitária, Marli Quadros Leite, esse é o resultado de um trabalho que teve início há algum tempo. “Desde o começo da nossa gestão, tínhamos a intenção de contar com um espaço exclusivo no Jornal da USP para noticiar os principais feitos diretamente fabricados por nossa Pró-Reitoria e mostrar ao grande público as realizações organizadas pelos diretores e pelas equipes desses equipamentos culturais que dispomos”, disse.

Marli Quadros Leite – Foto: Marcos Santos/USP Imagens

A iniciativa engloba ações produzidas pela Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin (BBM), pelo Centro de Preservação Cultural (CPC) – Casa de Dona Yayá, pelo Cinema da USP (Cinusp), pelo Coral Universidade de São Paulo (Coralusp), pelo Engenho São Jorge dos Erasmos, localizado em Santos, pela Estação Ciência, pelo Centro Cultural MariAntonia, pela Orquestra Sinfônica da USP (Osusp), pelo Parque de Ciência e Tecnologia (CienTec) e pelo Teatro da USP (Tusp).

“É uma parceria muito importante porque traz conteúdos relevantes de cultura e extensão para o Jornal da USP e nos ajuda a cumprir nossa missão de divulgar para a sociedade as ações da Universidade”, destaca a editora executiva da SCS, Marcia Blasques.

A pró-reitora complementa com suas expectativas: “Queremos que nossa produção cultural e de extensão venha beneficiar ainda mais o público interno e externo à Universidade”.

Caderno de Cultura e Extensão conta com notícias de eventos, cursos, palestras, concertos, mostras de cinema, peças de teatro  e projetos voltados para a sociedade, em sua maioria, com atividades gratuitas.


 

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.

Edital Social MBA em Gestão de Museus

As inscrições para o Edital Social do MBA em Gestão de Museus 2024 foram prorrogadas.

A UNIMAIS/ABGC/EXPOMUS oferecem nessa turma 06 (seis) bolsas integrais, através do Edital Social 2024, para agentes multiplicadores que atuem em projetos socioculturais em comunidades. Serão 03 (três) bolsas para o curso no formato presencial e 03 (três) bolsas para o formato online.

Não perca essa chance, clique aqui,  acesse o Edital agora mesmo e inscreva-se!

 

Brasil reafirma parcerias culturais e diplomáticas com a Colômbia

Por ocasião da 36ª Feira Internacional do Livro de Bogotá, comitiva do MinC celebra relações bilaterais a partir da cultura durante agenda estratégica
Via: MinC

Foto: Luciele Oliveira / MinC

A 36ª edição da Feira Internacional do Livro de Bogotá (FILBo 2024), realizada entre os dias 17 e 2 de maio, marca não apenas as trocas culturais entre Brasil e Colômbia, mas também a retomada das relações bilaterais entre os dois países. Nesta terça-feira (16), a ministra Margareth Menezes, junto à delegação do Ministério da Cultura (MinC), participou de uma série de agendas estratégicas, reafirmando a posição do Brasil na arena internacional a partir da agenda cultural. A missão oficial da chefe da Cultura acontece de 15 a 21 de abril.

A agenda bilateral teve início com uma reunião com Juan David Correa, ministro das Culturas, das Artes e dos Saberes, na sede do Ministério das Culturas, na Colômbia. Margareth Menezes, apresentou possibilidades de cooperação, a partir do interesse da Colômbia no temas correlatos às secretarias do MinC: Formação Artística, Livro e Leitura (Sefli); Audiovisual (SAV); Cidadania e Diversidade (SCDC); Fomento e Economia Criativa (Sefic); Direito Autoral (SDAI).

O ministro colombiano lembrou que os dois países têm histórias correlatas e que é preciso rememorar os fatos. Juan David Correa salientou também que o Brasil é uma inspiração para Colômbia e agradeceu ao Brasil pelo convite para que o país participe da Feira do Livro de São Paulo.

“Queremos estreitar os nossos laços com um país que consideramos não só próximo, mas nosso irmão, exemplo e nossa inspiração. A presença colombiana na Feira do Livro de São Paulo se apresenta como uma oportunidade de transcender fronteiras através da palavra, da literatura e dos livros, e promover conversas entre duas nações conectadas pela Amazônia, mas também um interesse comum de unir a América Latina em um único território biocultural que potencialize a vida”, afirmou.

O Brasil é o país convidado de honra da 36ª edição da FILBo, cujo tema será “Ler a Natureza”. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva estará na abertura da FILBo 2024, e também cumpre agenda diplomática no país a convite do presidente da Colômbia, Gustavo Petro.

Os presidentes Lula e Petro manterão encontro de trabalho com atenção especial nas iniciativas para promover comércio e investimentos, o bem-estar das populações brasileira e colombiana e o desenvolvimento sustentável, em especial por meio da Organização do Tratado de Cooperação Amazônica. O encontro presidencial permitirá, ainda, aprofundar o diálogo sobre temas sociais, a exemplo da igualdade racial, dos direitos humanos, da agricultura familiar e da política externa feminista.

“É muito importante nesse momento fortalecermos as relações com outros países, porque o mundo precisa da sinalização de que é possível conviver, pensar e potencializar a nossa humanidade como base principal do resgate da existência e do valor da nossa biodiversidade. Essas são pautas impositivas para a sobrevivência do ser humano no planeta”, disse a ministra da Cultura do Brasil.

Margareth Menezes lembrou ainda que a FILBo “é uma plataforma de projeção da literatura brasileira, e também uma afirmação das relações culturais do Brasil com a Colômbia”. Com intuito de estreitar os laços e realizar o intercâmbio de ideias e ações, os ministérios da Cultura do Brasil e da Colômbia assinaram, ainda, um memorando de entendimento.

Resgate histórico

O presidente da Fundação Biblioteca Nacional (FBN), Marco Lucchesi, presente na comitiva, afirmou que Brasil e Colômbia têm uma grande conexão histórica que está sendo reconstruída.

“O fato de estarmos aqui é um momento de glória tanto para a Presidência da República, quanto para todo o Sistema MinC. Estamos revisando e assinando uma série de entendimento junto com MinC e a Biblioteca Nacional da Colômbia que resgatam projetos importantes para os dois países. Essa relação de diálogo tende a crescer e se tornar mais forte pelo bem das repúblicas e para o bem das democracias”, declarou.

A Fundação Palmares, representada pelo presidente João Jorge Rodrigues, também integrou a comitiva do MinC. João Jorge Rodrigues explicou que a Fundação Palmares vai resgatar os projetos Intercâmbios afro-latinos e Observatório Afro Latino, programa colaborativo para conexões, intercâmbios e diálogos das culturas afro-latinas e caribenhas. “É um momento raro, onde duas potências se unem pela literatura e pela cultura.

A reunião bilateral contou também com a participação de Sevani Matos, presidente da Câmara Brasileira do Livro (CBL); e Paulo Estivallet de Mesquita, Embaixador do Brasil na Colômbia.

Fomento ao livro e à leitura

Seguindo a agenda, a comitiva se reuniu com um importante organismo internacional e intergovernamental ibero-americano da Unesco que trabalha pela criação de condições para o desenvolvimento de sociedades leitoras, o Centro Regional para o Fomento do Livro na América Latina e o Caribe (CERLALC) – cujo Conselho Geral é atualmente presidido pela chefe da Cultura brasileira. A reunião teve a presença de Margarita Cuéllar Barona, diretora da CERLALC, Juan David Correa, ministro da Cultura da Colômbia, e Fabiano Piúba, secretário de Formação Cultural, Livro e Leitura do MinC.

A reunião teve o propósito de reafirmar o compromisso político dos governos brasileiro e colombiano, bem como da CERLALC, para impulsionar a leitura, a escrita, a oralidade e o fortalecimento da produção e circulação de livros nos países.

A diretora da CERLALC, Margarita Cuéllar, celebrou o encontro e reiterou a importância de fortalecer a circulação de livros para uma sociedade mais justa e equitativa.

“Reconhecemos que a leitura e a escrita são fundamentais para a democracia e o pluralismo; são a base para o aprendizado ao longo da vida, pois estimulam o desenvolvimento da imaginação e do pensamento crítico. Queremos articular iniciativas de cooperação nessa missão”, disse.

Fabiano Piúba lembrou a instituição do CERLALC e classificou a leitura como um ato de libertação. “O CERLALC foi uma resolução da Unesco em 1969 quando identificou a necessidade de construir alguns centros regionais de fomento ao livro e a leitura em continentes com baixos índices de leitura, escrita e altos índices de analfabetismo. Paulo Freire, grande educador brasileiro, disse que a gente aprende a ler para escrever a nossa própria história. Daí a leitura é uma prática de liberdade”, comentou.

O Brasil foi eleito em 2023, por unanimidade, o país presidente do Conselho Geral do Centro, em um mandato com duração de dois anos. Importante organismo internacional e intergovernamental ibero-americano, o CERLALC-Unesco conta com 21 países membros, sendo o Brasil integrante desde 1973.

Na programação estão visitas a equipamentos culturais nas cidades de Medellín e Bogotá, como a Biblioteca Virgilio Barco.

Museu da Língua Portuguesa terá cinema ao ar livre e já temos a data da primeira sessão

Iniciativa cultural faz parte do projeto Luz na Tela, com exibições mensais e gratuitas. Confira todos os detalhes!

Por: MARINA COUTO – REDATORA

Via: https://saopaulosecreto.com/luz-na-tela-museu-da-lingua-portuguesa/

Uma sessão de cinema gratuita e ao ar livre em um dos museus mais icônicos de SP, topa? Essa é a proposta do projeto Luz na Tela, que conta com exibições de filmes mensais e gratuitas no Museu da Língua Portuguesa. A primeira sessão já tem data marcada para abril, com um clássico cinematográfico! Descubra qual aqui!

 

O Luz na Tela visa fortalecer e valorizar a cultura cinematográfica
As sessões de cinema ao ar livre no Museu da Língua Portuguesa fazem parte do projeto Luz na Tela, em parceria com o Museu Soberano – Rua do Triunfo, que foi reaberto em março deste ano. Assim, desde então, o espaço voltou a jogar luz nas produções de cinemas do território da Luz e arredores.

Além disso, o objetivo do projeto é fortalecer a cultura cinematográfica desta região, popularmente conhecida como Boca do Lixo. Isso porque o local se tornou um importante polo da cidade de São Paulo, com uma intensa produção de filmes independentes, entre as décadas de 1960 e 1980.

Luz na Tela: filme Luzes-da-CidadeFoto: Divulgação
Saiba quando e qual filme será exibido na primeira sessão ao ar livre no Museu
A primeira sessão de cinema ao ar livre no Museu da Língua Portuguesa acontece no dia 25 de abril, no Pátio B da instituição. A cerimônia de abertura vai rolar a partir das 18h30, com o início do filme marcado para 19h30.

E sabe qual será o primeiro filme da programação? “Luzes da Cidade”, um dos clássicos da cinematografia de Charlie Chaplin. A comédia é de 1931 e conta a história de um vagabundo, que finge ser milionário para conquistar uma florista cega por quem se apaixona.

Além disso, o evento é gratuito e conta com cadeiras e bancos espalhados por todo o espaço e distribuição de pipoca e água. Tem mais: terá a presença de Paulo “Chaplin” Pasttella, considerado o Carlitos Brasileiro por Geraldine Chaplin, filha de Charlie Chaplin. Um rolê imperdível!

Lista de habilitados à avaliação artística nos editais do Sistema de Incentivo à Cultura é anunciada

Foram aprovados 52 projetos no Mecenato e 620 no Fundo de Incentivo à Cultura; Proponentes terão prazo de para recursos, a partir desta quarta (17)

Por: Germana Macambira

Via: Folha.PE

A lista inicial de habilitados na avaliação documental de dois editais do Sistema de Incentivo à Cultura (SIC) foi anunciada nesta terça-feira (16), pela Prefeitura do Recife, por meio da Secretaria de Cultura e da Fundação de Cultura Cidade do Recife.

Com aporte de mais de R$ 13 milhões direcionados à produção cultural na capital pernambucana, em linguagens que passam por diversas expressões da arte, a lista traz 52 projetos aprovados no Mecenato e 620 no Fundo de Incentivo à Cultura.

Foto: Maurício Ferry/PCR

A próxima etapa dos habilitados é a avaliação artística. A relação dos habilitados, publicada no Diário Oficial, pode ser acessada por meio deste link.

Prazo para Recursos
A partir da publicação da lista, passa a correr o prazo de três dias para os recursos, ou seja, desta quarta-feira (17) até a sexta-feira (19).

O mesmo período é assegurado pelo poder público municipal para proponentes que concluíram a inscrição, sanarem eventuais pendências de documentação – sinalizadas neste endereço eletrônico.

A avaliação do mérito artístico dos projetos habilitados será feita por pareceristas selecionados em edital público, realizado pela Prefeitura em 2023, com formação acadêmica e/ou experiência profissional comprovada em arte e cultura, na elaboração e na avaliação de projetos culturais. O resultado da etapa de avaliação artística será anunciado em junho.

 

Chefe do FMI diz que 30 países buscam fundos de resiliência e sustentabilidade da entidade

O (FMI) concedeu fundos de seu Programa de Resiliência e Sustentabilidade a 18 países até o momento, e outros 30 estão buscando financiamento, disse a chefe do FMI, Kristalina Georgieva, nesta terça-feira.

Georgieva disse que o programa, lançado em 2022 para ajudar países vulneráveis de renda média e insulares a lidar com as mudanças climáticas e outros desafios, foi uma maneira importante de a instituição financeira global ajudar os países a lidar com um mundo mais propenso a choques e a desacelerar o crescimento.

“Desde a crise financeira global (2008-2009), as perspectivas de crescimento de médio prazo têm diminuído e diminuído e diminuído e diminuído”, disse ela em um evento organizado pelo Comitê de Bretton Woods à margem das reuniões do FMI e do Banco Mundial.

Fonte:

https://www.terra.com.br/economia/chefe-do-fmi-diz-que-30-paises-buscam-fundos-de-resiliencia-e-sustentabilidade-da-entidade,90e031435eb3a3787777414659d7b55ba1g57eft.html?utm_source=clipboard

MBA em Gestão de Museus e Inovação: Capacitando Profissionais para o Futuro Cultural

Por que o MBA em Gestão de Museus e Inovação é Imperdível?

O mercado cultural está em constante evolução, e os museus desempenham um papel fundamental na preservação e disseminação da nossa herança cultural. O MBA em Gestão de Museus e Inovação foi projetado para atender às necessidades específicas dos profissionais que atuam nesse setor dinâmico.

Formato Híbrido: Flexibilidade para Todos

O curso oferece flexibilidade para os alunos. Você pode optar por cursá-lo online, de forma síncronas, ou participar das aulas presenciais em um equipamento cultural de referência em São Paulo. Essa abordagem híbrida permite que você adapte seus estudos à sua preferências.

Visitas Técnicas e Experiências Práticas

Durante os 15 módulos do curso, os alunos terão a oportunidade de realizar visitas técnicas a outras instituições museológicas em São Paulo e no Rio de Janeiro. Essas experiências práticas enriquecerão seu aprendizado, proporcionando insights valiosos sobre as melhores práticas e os desafios enfrentados pelos gestores culturais.

Objetivos do MBA em Gestão de Museus e Inovação

  1. Formar Líderes Preparados para o Futuro: Capacitar profissionais para atuar de forma reflexiva e empreendedora no universo dos museus no Brasil.
  2. Ampliar Audiências e Impacto Social: Tornar o acesso à cultura mais inclusivo e dinâmico.
  3. Desenvolver Visão Estratégica e Criatividade: Preparar gestores para elaborar projetos inovadores e sustentáveis.
  4. Promover a Segurança Patrimonial: Proteger nosso patrimônio cultural.
  5. Fundamentar a Prática com Conhecimento Teórico: Refletir sobre as melhores práticas nacionais e internacionais.

Público-Alvo

O curso é direcionado a gestores públicos e privados, bem como a profissionais que desejam ingressar no campo de museus. Se você é formado em Museologia, Gestão Cultural, Produção Cultural, História, Comunicação, Marketing, Economia, Administração, Direito, Turismo ou áreas afins, o MBA em Gestão de Museus e Inovação é a sua oportunidade de aprimoramento profissional.

Para mais informações sobre o curso e inscrições, acesse https://abgc.org.br/mba-em-gestao-de-museus-2024

Lula sanciona marco regulatório do Sistema Nacional de Cultura, apelidado de “SUS da Cultura”

Aprovado em março pelo Senado, texto estabelece gestão conjunta das políticas do setor entre União, estados e municípios

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sancionou nessa quinta-feira (4) o marco regulatório do Sistema Nacional de Cultura (SNC), apelidado de “SUS da Cultura”.

Aprovado no Senado Federal em 6 de março, o texto prevê que o SNC será organizado em regime de colaboração entre os entes federativos para gestão conjunta das políticas de cultura.

“Cultura não é apenas do eixo Rio-São Paulo. É da cidade mais pobre, é do povo mais humilde. A cultura não está pronta, ela é feita todo dia por cada gesto do ser humano. E é isso que a gente quer fazer”, ressalta.

O senador Humberto Costa (PT), relator do projeto, exaltou a sanção da lei após as tratativas para aprovação no Congresso Nacional: “Foi uma construção bastante complexa, mas muito positiva, fizemos uma grande parceria com o Ministério da Cultura e conseguimos eliminar algumas resistências e criar esse sistema”.

O evento também contou com a presença da ministra da Cultura Margareth Menezes, e do prefeito da capital pernambucana, João Campos.

A chefe da pasta foi homenageada pelo presidente, que relembrou a primeira vez que a viu no palco durante o Carnaval de Salvador. “Fiquei até 3h da manhã até ela aparecer para cantar. E ela cantou e me encantou e por isso ela virou nossa ministra da Cultura”, revela.

 

Fonte: Cultura.uol

Prazo para participar da consulta pública sobre o novo Plano Nacional de Cultura termina em 7 de abril

Contribuições da sociedade civil irão ajudar na elaboração do PNC

Foto: Freepik

Chega ao fim no dia 7 de abril a consulta pública promovida pelo Ministério da Cultura (MinC) sobre o novo Plano Nacional de Cultura. Aberta durante a 4ª Conferência Nacional de Cultura (4ª CNC), em março, a iniciativa busca ouvir as contribuições da sociedade civil a respeito do PNC.“Essa escuta inicial é fundamental para entendermos as expectativas das pessoas sobre o próximo plano, entender que papel a sociedade quer ele cumpra, colher percepções de para onde queremos ir com ele nos próximos dez anos”, comenta a coordenadora-geral de projetos estratégicos da subsecretaria de Gestão Estratégica (SGE), Sofia Mettenheim.

consulta pública está aberta na plataforma Participa + Brasil e traz a seguinte pergunta: “o que você espera do próximo Plano Nacional de Cultura?”. Até esta quinta-feira (04), 304 pessoas responderam à questão.

O MinC também prevê outras oportunidades de participação popular ao longo deste ano, por meio de audiências, circulações no território e novas votações on-line. As contribuições serão ordenadas para a construção do PNC.

Orientação

O Plano Nacional de Cultura (PNC) é um importante instrumento que orienta o poder público na formulação de políticas culturais. Ele foi previsto no artigo 215 da Constituição Federal e criado pela Lei n° 12.343, de 2 de dezembro de 2010.

Seu objetivo é estabelecer um programa de ação para o Sistema Nacional de Cultura (SNC) de forma a orientar o poder público na formulação de políticas culturais.

O Plano vigente, de 2010-2024, foi elaborado após a realização de fóruns, seminários e consultas públicas com a sociedade civil e, de 2005 em diante, sob a supervisão do Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC). Com duração de dez anos, o PNC teve a sua vigência prorrogada duas vezes e tem validade até dezembro de 2024.

O novo PNC irá estabelecer as prioridades para as políticas culturais para os próximos dez anos.

Fonte: Gov.br